VW retoma cautelosamente a produção

A Volkswagen retomou cautelosamente a sua produção de automóveis de passageiros, começando com os modelos Zwickau e Bratislava no dia 20 de abril, as outras fábricas na Alemanha, Portugal, Espanha, Rússia, África do Sul, América do Norte e do Sul vão arrancar a partir de 27 de abril. A produção na África do Sul, Argentina, Brasil e México não será retomada até o mês de maio.

volkswagen-fabric

Foto: Reuters

Explicação de Ralf Brandstaetter, CEO da Volkswagen:

“As decisões dos governos federais e estaduais da Alemanha e a redução das restrições em outros estados europeus criaram condições para a retomada gradual da produção. A VW nas últimas três semanas se preparou intensivamente para essas etapas. Além de desenvolver um plano de ação abrangente para proteger a saúde dos nossos funcionários, também avançamos na relação com os nossos parceiros e fornecidores. "

Nas fábricas na Alemanha, vai contiuar por enquanto a redução do tempo de trabalho, mas o número de trabalhadores afetados diminuirá lentamente em proporção à retomada da produção: a produção será retomada de acordo com a disponibilidade atual de peças, os requisitos governamentais na Alemanha e Europa, o desenvolvimento de mercados e os métodos de trabalho resultantes das fábricas. Independentemente desses desenvolvimentos, a adesão as medidas de saúde para os trabalhadores será prioridade. 

O gerente de produção e logística Andreas Tostmann disse o seguinte:

“Oferecemos locais de trabalho seguros e com o mais alto nível possível de proteção à saúde com um plano de pontuação (100 pontos). Queremos garantir que a economia volte a funcionar e que os carros saiam das fábricas e cheguem aos nossos revendedores e clientes. "

A Volkswagen já conseguiu alguma experiência com o reinício de produção, em períodos passado. Desde o dia 6 de abril, as fábricas em Brunswick e Kassel estão a trabalhar  com componentes soltos. As fábricas em Salzgitter, Chemnitz, Hannover e Polônia seguiram o mesmo sistema no dia 14 de abril, assegurando o fornecimento das fábricas da China e da Europa. A empresa está também a aproveitar a experiência adquirida com o aumento da produção nas suas fábricas na China, onde foi implementado com sucesso um grande número de medidas consistentes de proteção à saúde. Desde então, 32 das 33 fábricas na China voltaram à produção e não foi relatado nenhum caso de coronavírus até o momento.

23 de abril de 2020 | Fonte: Verdict.co.uk