Quadro de instrumentos digitais do Renault Scenic II 2003-2009

Cada vez menos se vê indicadores analógicos com ponteiros nos dias que correm. Conforme o carro se vai modernizando e tornando-se mais inteligente, também o quadro de instrumentos progride com o passar do tempo. Os indicadores com aspeto analógico continuam a ser utilizados para efeitos estéticos, mas cada vez mais o controlo dos ponteiros é feito digitalmente. O principal responsável por este desenvolvimento é a introdução da rede CAN. Devido ao facto de todo o volume de informação poder ser enviado através de uma rede, o fluxo de informação não tem necessariamente que ser enviado diretamente a partir da fonte para o painel de instrumentos. Uma outra vantagem adicional tem a ver com o facto de múltiplos componentes estarem aptos a beneficiar da mesma introdução, em simultâneo, sem haver a necessidade de se utilizar cablagem para cada componente, separadamente.

O quadro de instrumentos digital do Renault Scenic II 2003-2008 é um exemplo de um painel de instrumentos mais moderno. Parte da informação é obtida através da rede CAN e o painel de instrumentos tem uma EEPROM e um processador para processar e relembrar informação. Esta melhoria é também um ponto fraco na eventualidade de avaria, visto não ser invulgar que a posição do conta-quilómetros seja incorreta aquando da ocorrência de uma avaria.

Avarias mais comuns

Infelizmente, ocorrem avarias frequentemente nestes quadros de instrumentos. A causa principal é, sem dúvida, (e como podemos dizer isto com algum tato?) falta de cuidados na montagem dos quadros. É difícil permanecer positivo acerca da qualidade de construção do painel de instrumentos, porque não foi necessário muito esforço da nossa parte para que o produto refabricado fosse mais fiável do que um produto novo. O facto de não sermos os únicos a pensar desta forma é visível quando se faz uma pesquisa na internet. Existem inúmeros fóruns cheios de comentários de clientes que não só estão irritados com a qualidade, como também com a (falta de) assistência e boa vontade que a Renault oferece. As entidades que defendem os interesses dos consumidores (por exemplo, Tros Radar – programa televisivo Holandês) também despenderam imenso tempo a abordar este e bem conhecido problema.

As reclamações começam frequentemente com a unidade completa a ficar intermitente e a sofrer falhas breves. Após algum tempo, aumentam as reclamações de gravidade e os display’s desligam-se de forma permanente nalguns casos. Além disso, a avaria (temporária) pode fazer com que o conta-quilómetros sofra falhas de contagem. Esta alteração é permanente e apenas pode ser reposta no valor original através de programação. Também se verifica frequentemente que o relógio passa constantemente para a posição 0:00. Isto nem sempre significa que a bateria do veículo está fraca; o próprio painel do relógio pode ser a causa deste problema.
De facto, é raro ver-se códigos de erro para o quadro de instrumentos, visto que o próprio quadro de instrumentos não envia dados para os restantes componentes.

Instrumentos processo de refabricacao

Muitas das reclamações descritas acima envolvem fracas ligações de soldadura. Contudo, nem todas estas reclamações podem ser resolvidas através de um simples trabalho de soldadura. Algumas ligações são irreparáveis e as ligações soltas provocam frequentemente danos subsequentes. Muitas das vezes, torna-se necessário criar novas ligações e/ou substituir processadores, e EEPROMs. Também se deve ter em atenção que os próprios processadores e EEPROMs podem estar danificados. Embora uma EEPROM seja criada para estar apta a processar mais de 100 000 processos, é sempre possível avariar-se.

A substituição de componentes, tais como processadores e EEPROMs, significa a necessidade da reprogramação. E isso requer conhecimento e equipamento específicos. Em termos de configuração, estamos aptos a fazer tudo isto: ajustar a quilometragem, alterar o idioma, etc. Através da pesquisa efetuada, conseguimos descobrir os sinais hexadecimais que a rede CAN envia, pelo que pudemos ajustá-los conforme desejado. Por conseguinte, em caso de avaria de uma EEPROM ou processador, sabemos como resolver o problema.

O processo de refabricação

Não podemos acentuar o suficiente de que a Ractronicos luta por obter qualidade. Seria muito fácil reparar apenas os defeitos que vamos encontrando e devolver depois o produto reparado, mas não é essa a nossa forma de trabalhar. Cada painel de instrumentos digital que recebemos segue um processo específico no qual lidamos com cada ponto fraco conhecido, quer esteja avariado ou não. Além disso, procuramos sempre à solução que não só resolve o problema como melhora o produto.

O processo de refabricacao instrumentos digital

Somos extremamente rigorosos no que se trata do controlo final. Por exemplo, o quadro de instrumentos deve continuar a funcionar mesmo que dobremos a placa de circuitos ligeiramente e ao passar a tensão de 10V para 16V. Também simulamos várias entradas para que possamos efetuar uma boa verificação de forma a descobrir se todas as peças do quadro de instrumentos funciona devidamente. Quando tudo parece estar em ordem, procedemos à montagem do vidro. Não usamos o vidro fornecido, e sim um novo vidro. Por conseguinte, a qualidade não é apenas aplicada ao interior como também à aparência: o quadro de instrumentos volta a parecer novo aquando da sua devolução.

Sabia que…? 

Os representantes da Renault que lidam frequentemente com estes painéis de instrumentos defeituosos possuem quadros de instrumentos funcionais em stock para poderem oferecer ao cliente um painel de instrumentos funcional temporário, desde que o original seja enviado para refabricação. O painel de instrumentos não tem de ser instalado, trata-se de um grupo de instrumentos do tipo “plug-and-play” e passível de troca com outro Renault Scenic II.
Tenha em mente que os quilómetros realizados são armazenados num grupo temporário, não sendo adicionados à posição do respetivo quadro de instrumentos. Contudo, é possível que o display do rádio de um quadro temporário não funcione no veículo do cliente. A Renault tem usado vários tipos de rádio. O rádio funciona bem, mas não o respetivo display.

O quadro de instrumentos digital do Renault Scenic II 2003-2009

Os Detalhes do quadro de instrumentos

O vidro grande preto oculta uma placa de circuitos no qual é montado um painel grande e um painel pequeno. O painel grande exibe as funções básicas tais como velocidade rotacional, velocidade e conteúdo do depósito. O painel pequeno é basicamente destinado a funções adicionais tais como a temperatura exterior, o rádio do veículo e o relógio. Cada painel possui o seu próprio conector.

Se aumentar o zoom sobre os painéis, verificamos a entrada de sinais sob todos os tipos de formas. Nem tudo é ainda controlado através da rede CAN, embora seja claramente visível que a CAN assume cada vez maior importância nos veículos modernos. Repare na imagem abaixo. Este quadro de instrumentos de 2003 já é suportado, em grande parte, pela informação provinda da rede CAN.

Instrument cluster Explanation

Demonstração desta parte sob a forma de gráfico/desenho:

  • Painel grande

Indicador de velocidade:

  • sinal via CAN para a EEPROM

  • é convertido no segmento N

  • é também enviado para a EEPROM para efeitos de cálculo de quilometragem

Tacómetro:

  • sinal via CAN para a EEPROM

  • é convertido num valor entre 1 e 28 segmentos

Temperatura do motor:

  • sinal via CAN para a EEPROM

  • é convertido num valor entre 1 e 8 segmentos

Indicador do nível de combustível:

  • valor de resistência

  • é convertido num valor entre 1 e 8 segmentos

  • 0 Ohm significa cheio, 300 ou 400 Ohm faz acender a luz vermelha

Luzes indicadoras de aviso do motor/ABS:

  • sinal via CAN da ECU ou ABS ECU, sendo que a EEPROM acende a luz

Indicador de aviso de nível de óleo:

  • valor de resistência, a luz acende-se num determinado valor

Luzes de indicador de iluminação/indicador de mudança de direção/travão de mão:

  • sinal de 12V

  • envio à massa

Texto do display de informação:

  • sinal da EEPROM

  • os textos pré-programados na EEPROM são exibidos depois da centralina (ECU) ou outras fontes enviarem determinados sinais pela CAN

  • Painel pequeno (segmento N ou gráfico)

  • Display do rádio: I2C (ou CAN no caso de display gráfico)

  • Temperatura exterior: sinal via CAN para a EEPROM

  • Relógio: cálculo da EEPROM e do processador

Além de receber sinais, os quadros de instrumentos podem frequentemente realizar cálculos, armazenar e, nalguns casos, enviar valores. Conforme indicado anteriormente, o quadro de instrumentos do Renault Scenic II contém uma EEPROM (Electrically Erasable Programmable Read-Only Memory ou Memória de Leitura Programável e Apagável Eletricamente) e um processador. O nome completo explica o que esta peça está apta a fazer: armazenar, apagar e permitir a leitura de informação. O processador utiliza esta EEPROM para poder efetuar os seus cálculos. Desta forma, o processador e a EEPROM podem, por exemplo, relembrar e ajustar em conjunto o conta-quilómetros. Por sua vez, o ecrã utiliza a posição armazenada na EEPROM para que possa ser exibida.

Pode imaginar que existe muitas coisas que podem correr mal caso a alimentação do sistema sofra uma falha súbita durante o processo. Os dados podem ser corrompidos aquando da ocorrência de uma interrupção ao guardar a informação. Os dados ficam incompletos e o processo não continua a partir do passo no qual foi interrompido. Uma das possíveis avarias neste caso pode ser, por exemplo, um conta-quilómetros incorreto.

Por outro lado, este painel de instrumentos não procede ao envio de informação a outros componentes. Os valores necessários para, por exemplo, o sistema de ABS e a centralina (ECU), já são distribuídos pela rede CAN e o sistema não necessita de informação adicional do próprio painel de instrumentos.

Desmontagem do quadro de instrumentos

Felizmente, a desmontagem do quadro de instrumentos não é um trabalho difícil ou prolongado. Retire cuidadosamente a tampa de plástico que cobre o grupo de instrumentos com as ferramentas adequadas. Em primeiro lugar, desmonte a parte superior e depois a parte inferior. De seguida, poderá ver vários parafusos (Torx) usados para aparafusar o quadro de instrumentos. Desaparafuse-os, um por um, e depois puxe cuidadosamente o quadro de instrumentos na sua direção. A cablagem é fixa no topo, pelo que é aconselhável retirar o quadro de instrumentos, enquanto o fundo está virado para si. Ambos os conectores podem ser facilmente desapertadas logo que o grupo de instrumentos fique situado em frente do painel de instrumentos.

Vídeo com instruções de desmontagem disponível no YouTube: